PIER (Projecto de Intervenção em Espaço Rural) - Herdade Sousa da Sé - Évora

10 de Março de 2008

Introdução

O Projecto de Intervenção em Espaço Rural (PIER) pretende uma utilização diversificada do espaço rural de modo a evitar conflitos de usos. O PIER “incide sobre uma área específica do território municipal, classificado como solo rural, estabelecendo os objectivos mais adequados ao seu ordenamento e desenvolvimento sustentável, pormenorizando e concretizando as propostas de ordenamento do território definidas nos demais instrumentos de gestão territorial aplicáveis, indicando as acções necessárias à sua concretização e as regras para o uso, ocupação e transformação do solo rural”

Os objectivos do presente ensaio visam a definição de um esquema de desenvolvimento turístico na área da Herdade Sousa da Sé, com criação de uma oferta diversificada de produtos – imobiliário, lazer e recreio –promovendo em simultâneo um desenvolvimento sustentável que não crie impactos significativos sobre o ambiente.

A Herdade Sousa da Sé, com uma área de aproximadamente 1000ha, situa-se na Freguesia da Sé, 10km a nascente da cidade de Évora, junto à estrada N18, que faz a ligação entre Évora e Estremoz. A entrada actual encontra-se a 100m da saída da auto-estrada A6, com direcção a Espanha.


Fotografia aérea da área em estudo


Apesar de não apresentar grande variação de cotas, a área é caracterizada pela presença de festos e talvegues, que determinam a bacia visual de algumas áreas da propriedade. Por se tratar de um relevo muito pouco acentuado, os declives são na sua maioria pouco marcados. Apenas no extremo Nordeste da herdade o relevo apresenta-se ligeiramente mais irregular. Relativamente à orientação de encostas, dominam as quentes e temperadas. A variação altimétrica é muito reduzida, sendo a área mais baixa junto à ribeira do Freixo, e a zona mais elevada nos limites a Nordeste da propriedade.

A área em estudo insere-se na bacia do Tejo e é atravessada, em toda a sua extensão, pela ribeira do Freixo, afluente directo do rio Degebe, sendo um dos principais afluentes da albufeira de Monte Novo, que abastece o concelho de Évora. Paralelamente à ribeira do Freixo a Este, e a Oeste, desenvolvem-se duas linhas de cumeada que separam a bacia desta ribeira de duas que são suas tributárias directas (a ribeira de Vale de Figueiras a Oeste, e a Este as ribeiras do Castelinho e de Machede). Os festos que limitam o vale da ribeira do Freixo conferem à área uma forma em concha, mais fechada a Norte, abrindo amplamente para Sul.

No que diz respeito aos solos, existe um predomínio de solos mediterrâneos pardos, e ao longo do vale principal e linhas de água secundárias existem manchas alongadas de Aluviossolos de textura ligeira. Grande percentagem da área em estudo apresenta solos com elevada aptidão para uso agrícola (áreas de RAN). Como usos actuais observam-se grandes áreas de “terra campa”, sem árvores, ocupada por pastagens e pousio, onde o estrato herbáceo predomina, intercalado com pequenos bosquetes de pinheiros mansos. Observa-se também uma pequena mancha de olival, uma diminuta mancha residual de montado misto de azinho e sobro no extremo Nordeste da propriedade, e um pequena área de montado de sobro na margem esquerda da ribeira do Freixo.

Como elementos construídos, a herdade engloba 4 assentos de lavoura. Quanto ao património arqueológico, a propriedade apresenta vários elementos de interesse, que correspondem a monumentos megalíticos classificados.

No que diz respeito à circulação, a propriedade encontra-se bem servida em termos de ligações internas e externas. A herdade apresenta, no entanto algumas degradações visuais, como a linha de alta tensão, que atravessa a área no sentido Nordeste-Sudoeste e constitui um impacte visual negativo. Outro elemento negativo com grande impacte é o armazém abandonado no Monte do Freixo.

Existem, na área em estudo, 2 unidades de paisagem:

1) Unidade de Paisagem da Sousa da Sé, que apresenta uma vasta área e caracteriza-se por apresentar relevo quase plano e pelo domínio do campo aberto. Engloba o vale da ribeira do Freixo, as encostas suaves que o envolvem, e zonas aplanadas adjacentes aos festos que são no geral tenuemente definidos. Destaca-se como principal elemento natural estruturante desta unidade a ribeira do Freixo, e alguns elementos de compartimentação como a galeria ripícola da ribeira e os alinhamentos arbóreos ao longo dos principais caminhos. 2) Unidade de Paisagem do Monte do Freixo, que preenche a zona Nordeste da propriedade, desenvolvendo-se a Nascente e Nordeste do Monte do Freixo e integra a zona de relevo mais ondulado da propriedade. Nela localiza-se uma albufeira, a segunda em termos de dimensão no conjunto da área. É esta a única área em que existe um coberto arbóreo, de montado de azinho, embora este se apresente em geral com baixa densidade, cobrindo apenas o limite nordeste da unidade.

Na elaboração do ensaio seguiu-se um programa que contem o conjunto de elementos a introduzir para a realização do empreendimento, no qual consta:

-Um hotel com 200 quartos, SPA, zona de congressos, reuniões de empresas e salas de negócios;

-Apartamentos e moradias em banda;

-Um hotel boutique entre 40 e 60 quartos, a construir na vinha, concebido para responder a nichos de mercado de prestígio, com actividades de vinoterapia.

-Plantação de 50ha de vinha.

-Construção de adega para produção de vinhos de qualidade superior e que serão um dos ex-libris do empreendimento turístico;

-Construção de um restaurante de referência, associada à adega e que seja um cartão de visita da região em termos gastronómicos;

-Dois campos de Golfe de 18 e 9 buracos;

-Dois campos de Futebol de 11;

-Localização de infra-estruturas para a prática de outras actividades desportivas, tais como, desportos náuticos, campos de ténis, ciclovias, passeios pedonais e ringues polidesportivos;

-Centro de artes e cultura Sousa da Sé de forma a afirmar-se como um destino cultural e executar um conjunto de actividades culturais e de lazer como por exemplo um festival anual de música, ou um roteiro arqueológico da propriedade em torno das antas existentes.

-Centro hípico associado à criação de cavalos para usufruto dos residentes e visitantes, com circuitos de passeio na propriedade, tirando partido da sua beleza paisagística e ambiental, e riqueza arqueológica;

-Localização de infra-estruturas para desenvolvimento da vacada existente;

-Desenvolvimento de áreas florestais na propriedade.

PIER - Herdade Sousa da Sé
Planta de Condicionantes

Escala: 1/10000

Proposta
1. Equipamentos de hotelaria
2. Vinha e adega/restaurante
3. Clube e campos de Golfe
4. Campos de futebol e outras actividades desportivas
5. Centro de Artes e Cultura
6.
Centro hípico
7. Pecuária e floresta
PIER
- Herdade Sousa da Sé Planta de Zonamento

Escala: 1/10000

Corte esquemático
de um arruamento
Sem escala


Corte esquemático
geral da proposta


Sem escala

Sem comentários: